Educação Ambiental para os Trabalhadores

Ao longo da implantação da linha de transmissão foram realizadas diversas  ações de educação ambiental voltadas aos trabalhadores das obras, de forma a conscientizá-los sobre as características socioambientais da região, sobre a necessidade de preservação do meio ambiente, proibição da realização de ações predatórias com a fauna e flora, sobre as noções do Código de Conduta, reforçando as formas de convivência com o ambiente e as comunidades do entorno, sobre os patrimônios arqueológico e paleontológico a serem preservados, entre outras questões.

Durante a Primeira Campanha de Educação Ambiental, os canteiros de obra do empreendimento ainda não estavam instalados, dessa forma, somente foram realizadas ações de sensibilização com os trabalhadores na Segunda, Terceira e Quarta Campanhas. 

2ª Campanha 

As atividades com os trabalhadores foram realizadas em três etapas, sendo uma oficina no canteiro de Corupá e duas oficinas no canteiro de São José dos Pinhais, tendo participado um total de 150 colaboradores da obra, o que representa 90% do efetivo contratado do momento.

A oficina realizada foi voltada para o tema "Convívio Social" uma vez que a obra estava em sua etapa de maior contato com a comunidade e proprietários de terra, tendo sido percebida a necessidade de fortalecer o conceito de respeito com os moradores da região. 

Os trabalhadores foram divididos em dois grupos de igual número de integrantes e foi lhes solicitada a formação de um círculo interno e outro externo, ficando aleatoriamente um de frente para o outro. Ao comando, os participantes foram orientados a rodar em sentidos opostos, com uma música ao fundo. Na hora em que a música parou, foi orientado que os pares formados conversassem por alguns minutos sobre suas vidas. A equipe sugeriu algumas perguntas como: onde mora; há quanto tempo; como é a sua família; o que mais gosta de fazer nas horas vagas; o que gosta de comer, entre outros assuntos pessoais. Em seguida, foi formado um grande círculo e cada dupla se apresentou, sendo que cada integrante da dupla, com base na conversa realizada, apresentou o outro e vice-versa. Para finalizar as duplas se abraçaram. Os trabalhadores se entrosaram e foram convidados a sentar.

Na sequência, foi realizada uma apresentação sobre convívio social, por meio de um vídeo denominado "Tecnologia e Convívio Social" para reforçar os conceitos trabalhados e relembrar a importância das relações pessoais e vínculos afetivos em tempos em que a tecnologia anda sendo mais priorizada que o contato físico.

Ao final foi elaborado coletivamente um painel de Convívio Social. Os trabalhadores foram convidados a preencherem tarjetas contando as experiências que estão tendo no trabalho, se existem questões do código de conduta passadas a eles que gostariam de compartilhar, experiências positivas e/ou negativas, pontos que poderiam ser melhorados. 

3ª Campanha

As atividades com os trabalhadores na Terceira Campanha de campo foram realizadas em três etapas, sendo uma oficina no canteiro de Corupá, uma no canteiro de São Bento do Sul e outra no canteiro de São José dos Pinhais, tendo participado um total de 215 colaboradores da obra, o que representa 90% do efetivo contratado até o momento da atividade. 

A oficina realizada foi voltada para o tema "Legislação Ambiental e Segregação de Resíduos", na qual foi apresentada a Lei de Crimes Ambientais (n.º 9.605 de 12 de fevereiro de 1998) e a reprodução de vídeo sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, demonstrando ao público a existência de legislação relativa a destinação dos resíduos gerados pela população.

Após discutido os temas acima, foi proposto aos colaboradores a atividade prática de Confecção do Jornal Mural. Os trabalhadores foram divididos em grupos, e cada grupo deveria montar um jornal mural em uma cartolina sobre os temas apresentados. Para isso, foram distribuídas cartolinas, figuras ilustrativas, cola, tesouras e canetinhas coloridas. Dentre os temas selecionados para o Jornal Mural estavam: crimes contra a fauna, crimes contra a flora, poluição, crimes contra o ordenamento urbano e patrimônio cultural, papéis recicláveis e não recicláveis, plásticos recicláveis e não recicláveis, metais recicláveis e não recicláveis e rejeitos.

Os colaboradores também receberam cartilha sobre Coleta Seletiva, que trouxe de forma simplificada a classificação dos resíduos e a melhor forma de sua separação.

4ª Campanha

As atividades com os trabalhadores na Quarta Campanha de campo foram realizadas em três etapas, sendo uma oficina no canteiro de Corupá, uma no canteiro de São Bento do Sul e outra no canteiro de São José dos Pinhais, tendo participado um total de 392 colaboradores da obra, o que representa 83% do efetivo contratado até o momento. 

A oficina realizada foi voltada para o tema "Consumo Consciente e Pegada Ecológica", onde se trabalhou o conceito de consumismo e seu impacto no planeta Terra, bem como, algumas formas de realizar consumo consciente nos afazeres do dia a dia . Foi apresentado também aos trabalhadores o cálculo da pegada ecológica, demonstrando que é possível mensurá-la, levando os trabalhadores a refletirem sobre as marcas que são deixadas no planeta por meio das escolhas que tomamos na hora de consumir.

Para sensibilização dos trabalhadores foi reproduzido o vídeo "Consumo Responsável", do Programa Água Brasil, que trata a questão do consumismo como um dos grandes responsáveis por diversos problemas ambientais da atualidade.

Foi realizada também uma atividade prática chamada Jogo da Ilha. Trata-se de uma atividade lúdica onde os trabalhadores foram levados a imaginar estarem juntos em um navio em alto mar. Entretanto, em um momento da viagem o navio se chocou com algumas rochas, começando a afundar. Por sorte, havia algumas ilhas próximas ao local do naufrágio e os trabalhadores poderiam salvar suas vidas nadando até alguma das ilhas. Então, os trabalhadores foram divididos em 10 grupos, e cada grupo recebeu um envelope com a carta de um náufrago e algumas imagens de recursos para sua sobrevivência. Na carta, o náufrago explica que a cada 30 dias passa um navio cargueiro próximo à ilha, dando possibilidade de resgate aos que estiverem ilhados. No entanto, até esse resgate acontecer, apesar de a ilha ter muitos recursos naturais e outros deixados pelo próprio náufrago, os ilhados só poderiam usar 05 desses recursos até serem resgatados. O exercício buscou levar os trabalhadores a refletirem se tudo que compram e usam no dia a dia é realmente necessário, bem como se em seu dia a dia conseguem dar utilidade a tudo que compram ou se descartam muitas coisas sem ter aproveitado sua vida útil.

5ª Campanha

A 5ª Campanha de Educação Ambiental voltada para os trabalhadores do empreendimento, com o tema "Meio Ambiente em Harmonia", foi realizada em setembro de 2020, por meio de Diálogos Diários de Segurança e Meio Ambiente (DDS), nos canteiros e frentes de obra, envolvendo, no total, 449 trabalhadores.

Durante as atividades foram distribuídos folhetos informativos contendo: o conceito de ecossistema, serviços ambientais da floresta e exemplos de serviços da natureza, o desequilíbrio ambiental e a relação com a ocorrência da pandemia da Covid-19 e dicas de práticas saudáveis a serem adotadas para melhoria da relação entre homem e meio ambiente.

As atividades foram realizadas de forma descentralizada, com pequenos grupos, por medida de segurança.