Diagnóstico Socioambiental Participativo

    O Diagnóstico Socioambiental Participativo (DSAP), se fundamenta em técnicas que permitem o levantamento de informações e conhecimentos da realidade de uma comunidade. Essa técnica é utilizada para conhecer, avaliar e planejar ideias, problemas, oportunidades, obstáculos locais e desenvolvimento regional, entre outros. Durante sua realização, procura-se colocar a população local frente à sua realidade e contexto social, a partir das técnicas de dinâmica coletiva, procurando identificar os principais problemas, desejos e soluções indicados pela própria comunidade.

    No contexto do Programa de Educação Ambiental de empreendimentos potencialmente poluidores, esta técnica é exigida por meio da Instrução Normativa (IN) nº 02 de março de 2012, a qual 

    Estabelece as bases técnicas para programas de educação ambiental apresentados como medidas mitigadoras ou compensatórias, em cumprimento às condicionantes das licenças ambientais emitidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - Ibama."

    Com base na IN nº 02/2012, foi realizado o  DSAP com as comunidades localizadas na faixa de 2 km no entorno do traçado da linha de transmissão (sendo um 1 km para cada lado da linha) e nos bairros localizados do entorno dos canteiros de obras a serem implantados, pois se entende que estas são as localidades mais susceptíveis aos impactos de implantação e operação do empreendimento, totalizando 13 bairros pertencentes a sete municípios atravessados pelo empreendimento, sendo dois municípios pertencentes ao estado do Paraná e cinco municípios localizados no estado de Santa Catarina, sendo eles:

  • Bairro Miringuava - entorno da localidade onde será implantado o canteiro de obras no município de São José dos Pinhais/PR
  • Bairro Roça Velha - município de São José dos Pinhais/PR
  • Bairro Córrego Fundo - município de São José dos Pinhais/PR
  • Bairro Rio do Una - município de São José dos Pinhais/PR
  • Bairro do Gama - município de Tijucas do Sul/PR
  • Bairro da Lagoa - município de Tijucas do Sul/PR
  • Bairro do Lageado - entorno da localidade onde será implantado o canteiro de obras no município de Campo Alegre/SC
  • Bairro Pedra d'Amolar - entorno da localidade onde será implantado o canteiro de obras no município de Corupá/SC
  • Bairro Poço da Anta - município de Corupá/SC
  • Vila Machado - município de Jaraguá do Sul/SC
  • Bairro Braço Ribeirão do Cavalo - município de Jaraguá do Sul/SC
  • Bairro do Rega - município de Pomerode/SC
  • Bairro Itoupava Central - município de Blumenau/SC


Metodologia

As atividades do DSAP tiveram como base metodológica encontros participativos, nos quais foram coletadas e analisadas informações, percepções e temas relacionados ao meio ambiente, à comunidade e ao município, para subsidiar o processo de criação do Plano de Ação do Programa de Educação Ambiental. Os instrumentos de pesquisa utilizados para a realização deste DSAP foram:

Entrevista individual semiestruturada

Itoupava Central, Blumenau/SC
Itoupava Central, Blumenau/SC

Realizadas com lideranças e/ou pessoas consideradas referência na comunidade. A entrevista semiestruturada é uma conversa informal com base num roteiro, como um questionário, em que são estabelecidos tópicos de interesse para o estudo em execução. Neste tipo de ferramenta podem ser levantadas diversas informações sobre uma família, indivíduo ou comunidade.

A entrevista semiestruturada é conhecida como uma entrevista aberta ou não diretiva, aproximando-se mais de um diálogo, uma conversação com o entrevistado, na qual alguns assuntos pré-determinados servem como um guia para conduzir a entrevista.

Reunião

Vila Machado, Jaraguá do Sul/SC
Vila Machado, Jaraguá do Sul/SC

Realizada com mais de um e menos de 10 participantes - são encontros de três ou mais pessoas com propósito de discutir algum tema ou realizar alguma atividade. As reuniões são um meio para partilhar, num grupo de pessoas, um mesmo nível de conhecimento sobre um assunto ou um problema e para tomar decisões coletivamente. Além disso, decisões tomadas coletivamente, com representantes das diferentes entidades interessadas, são mais facilmente aceitas por todos. As reuniões podem ser realizadas com representantes do poder público ou moradores de um mesmo bairro. 

Oficina do Futuro

Bairro Miringuava, São José dos Pinhais/PR
Bairro Miringuava, São José dos Pinhais/PR

Essa é uma técnica participativa utilizada para o levantamento de problemas e potencialidades de uma comunidade. Concebida e desenvolvida pelo Instituto Ecoar para a Cidadania, ela tem como objetivo sensibilizar e envolver a população em processos de resolução de problemas e tomada de decisões. Trata-se de um espaço para se debater sonhos, problemas e ações conjuntas. As pessoas apontam os problemas que as afligem dentro do tema proposto, construindo seu "Muro das Lamentações" e também a situação ideal desejada ao plantar sua "Árvore dos Sonhos".

A oficina Árvore dos Sonhos tem sua origem no início da Eco 92, este é o momento em que os participantes são estimulados a imaginar como gostariam que fosse a sua rua, sua escola, sua cidade, o planeta. Estes sonhos são então, escritos, desenhados e/ou pintados e se transformam na árvore dos sonhos, montada coletivamente. 

A oficina Muro das Lamentações remete ao monumento que fica na cidade velha de Jerusalém e é visitado até os dias atuais por peregrinos que vão colocar entre os vãos das pedras seus bilhetinhos com seus sonhos e sofrimentos. Este é o momento em que os participantes são estimulados a expressar tudo aquilo que não gostam, que os incomoda ou atrapalha sua qualidade de vida e, assim, é construído o Muro.

O objetivo em aplicar a Oficina do Futuro é apontar os temas mais relevantes para cada comunidade e as condições que possuem para enfrentá-los. Cada comunidade irá demonstrar suas potencialidades, vocações e conhecimentos específicos, além de uma maneira própria de sonhar as melhorias para sua realidade.

Comunidade da Lagoa, Tijucas do Sul/PR
Comunidade da Lagoa, Tijucas do Sul/PR

Mapa Falado

Comunidade Córrego Fundo, São José dos Pinhais/PR
Comunidade Córrego Fundo, São José dos Pinhais/PR

Para isso foram utilizadas cartolinas, canetas hidrográficas coloridas e papel adesivo para identificar questões ambientais mais problemáticas. Ao final da elaboração do mapa, o grupo é convidado para olhar de longe e fazer alguns questionamentos como; "O que vemos aqui?", "Sempre foi assim?", "Vocês gostariam que fosse diferente?". Outro fator importante é questionar cenários futuros, como os moradores gostariam que fosse sua comunidade, onde gostariam que fosse diferente, entre outras questões.

Elaboração coletiva de um desenho representativo do espaço objeto de reflexão, no caso as comunidades impactadas pelo empreendimento. Esta ferramenta permite discutir diversos aspectos da realidade de forma ampla, sendo muito utilizada como técnica exploratória. Para compor o mapa são escolhidos, pelos participantes, componentes significativos para a comunidade e as 

Comunidade Roça Velha, São José dos Pinhais/PR
Comunidade Roça Velha, São José dos Pinhais/PR